Qual a sua pretensão salarial?

November 25, 2016

 

Quantos de nós não se deparou com esta derradeira pergunta diante de um processo seletivo?

Em algum momento da entrevista, o selecionador te olha nos olhos e diz:

 

- Gostamos muito do seu perfil, e temos interesse em saber qual a sua pretensão salarial?

 

Nesse momento os pensamentos congelam.

 

... E agora, o que respondo?

... Se pedir muito, estarei descartado por que eles acharão que estou fora das possibilidades da empresa.

... Se pedir pouco, além de também poder ser descartado por me colocar em um piso muito inferior, perco minha rentabilidade mensal, tendo podido negociar melhor.

 

Momentos de angústia, incertezas.

 

Antes de lançarmos a nossa cartada final, vamos analisar alguns pontos.

 

Toda oportunidade deve ter um valor pré-estabelecido. Qualquer empresa, com um mínimo de estrutura, tem um orçamento reservado para a sua folha de pagamento, e sabe quanto poderá dispender nesse novo profissional. O valor do salário final pode até não estar fechado, é comum as empresas trabalharem com um range salarial, que garanta uma margem de negociação. Mas existe um norte.

 

Caso a empresa não tenha sua área salarial estruturada, CUIDADO! Pode ser uma armadilha.

Quando as empresas não possuem bases salariais efetivamente definidas, ou preferem não divulgar por querem trabalhar com a pretensão salarial do candidato, apostando na retração do mercado, elas abrem o que eu chamo de leilão às avessas, ou seja, aquele candidato que tiver a melhor relação custo benefício será o escolhido; menor salário com maior qualificação.

 

Organizações que atuam com esse tipo de estratégia correm o risco de não conseguirem os candidatos ideais, ou terem profissionais profundamente desmotivados, incorrendo no elevado índice de rotatividade e absenteísmo.

 

Por outro lado, empresas bem estruturadas possuem em sua matriz salarial, faixas de remuneração para cada cargo, estabelecendo valores mínimos, médios e máximos, por função; definindo-se assim critérios claros de remuneração. Neste caso, o candidato é avaliado previamente de acordo com alguns quesitos predefinidos pela empresa, como por exemplo: experiência, conhecimento, formação acadêmica, entre outros; e deste modo alocado na faixa salaria correspondente.

 

Você deve estar pensando: Afinal, o que devo responder quando essa pergunta for efetuada? Qual a sua pretensão salarial?

 

Antes de darmos um valor definitivo, cabe um questionamento sobre a faixa salarial que a vaga oferece. Se existe algum valor previamente definido e se o mesmo permite alguma negociação.

Caso a empresa não abra essa informação, sugiro algumas estratégias:

 

1. De acordo com a média de mercado.

 

Se compararmos os valores salariais dos últimos 10 anos, para os diversos cargos, desde operacionais a estratégicos, observamos que os mesmos sofreram grandes impactos com a retração de mercado. Dificilmente encontramos salários acima de R$ 20, 000.00. Valores estes resguardados para gerentes e alta diretoria.

 

É possível que, caso você tenha ficado muito tempo em uma mesma empresa, seu salário sofra uma considerável redução. É preciso estarmos atentos ao mercado, e descobrir qual é a média atual para a sua função.

 

Existem diversos sites de pesquisas salariais que possam fornecer essa informação, inclusive por região.

 

2. Com base no seu salário anterior.

 

Depois te termos analisado o mercado, e constatarmos que os valores recebidos estão dentro da média de mercado. Podemos manter o mesmo valor recebido em nossa última remuneração.

Em caso de mudança de função para um nível superior, o mercado trabalha com uma margem de acréscimo de 25% a 30%, em média. O mesmo pode ocorrer para um downgrade funcional, com uma redução nas mesmas proporcionalidades.

 

3. Valor mínimo aceitável.

 

Minha avó costumava dizer que pretensão e água benta cada um carrega o quanto aguenta. Eu tenho pretensão de receber R$ 100 mil por mês. Cada um tem a sua pretensão, mas esta é válida para o mercado?

 

Portanto, uma outra análise que podemos fazer é com base no valor mínimo aceitável.

Façamos um cálculo das despesas médias, sem cortar gastos indispensáveis, muito embora o “indispensável” seja muito variável para cada um de nós; Maslow em sua matriz de necessidades, já dizia isso.

 

Este pode ser um valor da nossa pretensão mínima aceitável.

 

Destaco que toda negociação salarial deve ser realizada no aceite da proposta. Após isso, somente via promoção interna, e nem toda empresa possui plano de carreira estruturado, por isso é importante sermos bem precisos em nossa proposta inicial, para não ficarmos nos lamentando futuramente, e nos sentirmos desmotivados pela baixa remuneração, portanto seja bem específico nos seus desejos, seja sincero consigo mesmo, evitando assim frustrações futuras.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Devolutivas de Processos Seletivos

October 26, 2016

1/2
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square